Orientações para o Pós-Operatório de Cirurgia Cardíaca
Introdução

A Cirurgia Cardíaca de Revascularização Miocárdica (ponte de safena e/ou mamária) devolve ao músculo cardíaco o aporte de sangue necessário para suas funções, garantindo melhores perspectivas de vida no qualitativo e quantitativo.

A colaboração do paciente no período pós-operatório, durante a convalescença e posteriormente, é indispensável. Após deixar o hospital, a responsabilidade pela manutenção do estado de saúde do paciente é dele mesmo por meio da regularização do apetite, do sono e das sensações de segurança e confiança, que vão sendo gradativamente alcançadas. No prazo de seis e oito semanas e à medida em que se sentir mais forte, o paciente pode ir aumentando o ritmo de suas atividades.


UTI (Unidade de Terapia Intensiva)

Quando você acordar estará na UTI. Uma equipe formada por médicos, fisioterapeutas, enfermeiras e técnicos de enfermagem o ajudarão a se recuperar prontamente. A UTI é um lugar muitas vezes barulhento e com as pessoas indo e vindo o tempo todo. Esses barulhos são devido aos diferentes tipos de equipamentos utilizados para monitorizar a condição clinica de cada paciente.

Na UTI será recebido pelo médico plantonista, permanecendo em torno de 48 horas em cuidados intensivos, com monitorização de todos os parâmetros como pressão arterial, frequência cardíaca, temperatura, frequência e padrão respiratório, diurese e débito dos drenos; avaliação clínica contínua, fisioterapia respiratória e cuidados de enfermagem. Após estabilização do quadro, serão retirados drenos, cateteres e fio de marcapasso, o paciente receberá alta da UTI para o apartamento, permanecendo ao lado dos familiares e iniciando o período de reabilitação com caminhadas e exercícios respiratórios.

Você estará conectado no pós-operatório imediato a um aparelho de respiração mecânica. Um tubo inserido pelo anestesista estará em sua traquéia e será retirado assim que possível (habitualmente algumas horas após sua chegada na UTI). Enquanto tiver o tubo endotraqueal você não conseguirá falar ou engolir. Fique o mais tranqüilo possível e peça ajuda com a cabeça se quiser alguma coisa. Após a extubação (retirada do tubo da garganta) poderá ocorrer rouquidão e dificuldade para falar. Exercícios respiratórios serão estimulados pelos fisioterapeutas para evitar complicações pulmonares. Você será estimulado a mudar de posição frequentemente na cama, respirar profundamente o tempo todo. Esses exercícios são importantes para evitar pneumonia e outras complicações. Mantenha essa rotina quando tiver alta para o quarto.

Você terá drenos de tórax (tubos de silicone) para drenar secreções que se acumulam após a operação. Esses drenos são colocados no momento da operação. Os drenos são removidos assim que possível (normalmente 24-48 horas de pós-operatório).

Fluidos e medicações inicialmente são aplicados na veia até que você seja capaz de se alimentar. Você poderá sentir dor no pós-operatório que será controlada com medicações adequadas. O tempo de internação na UTI varia de acordo com sua condição clinica e assim que possível você será transferido para o quarto.


Recuperação no quarto do hospital

A atividade física deverá ser gradualmente estimulada. Procure assentar-se frequentemente na cama e fora dela. Faça caminhadas frequentes fora do quarto. Um membro da equipe de pós-operatório orientará especificamente nessa recuperação. Assim que possível você deverá se banhar e fazer suas necessidades fisiológicas sozinho. Se precisar de ajuda solicite à equipe de enfermagem. Pratique a boa higiene: lave as mãos frequentemente, tome banho diariamente, escove os dentes 3 vezes por dia no mínimo, use fio dental, proteja sua pele de traumas.

Após 48 horas de cirurgia sua cicatriz não precisará mais ser coberta com curativos. Lave e seque adequadamente as feridas durante o banho com delicadeza. Se houver qualquer secreção, vermelhidão, edema (inchaço), ou barulho diferente no local operado comunique imediatamente à equipe que lhe assiste no pós-operatório. Não use qualquer loção ou creme nas feridas sem prescrição médica.

Não dirija automóveis até 4 semanas após a cirurgia. Não carregue peso acima de 10 kg até 4 semanas da operação. Tome as medicações recomendadas adequadamente. Você deverá comparecer à consulta após a alta hospitalar, que será agendada pela equipe médica.


Cuidados em sua casa

Este período inicial, ou convalescência, é o que vai da sua saída do hospital até cerca de 2 meses (dependendo do tipo de cirurgia, ocorrências no pós-operatório e da sua idade, este período pode ser mais longo).

Assim, nesta fase você poderá ficar muito fraco e sensível física e emocionalmente falando (a música e a leitura podem ajudá-lo a equilibrar os seus descontroles emocionais).

Evite situações que possam deixá-lo cansado ou irritado.

Em casa, deve-se evitar muitas visitas pois o paciente encontra-se debilitado e necessitando de repouso entre os exercícios. A dor, inchaço, insônia, palidez, falta de apetite é comum neste período e vão gradativamente melhorando com o passar dos dias. Quando estiver em condições clínicas adequadas e com exames laboratoriais normais, receberá alta hospitalar e isto ocorre em aproximadamente 3 a 5 dias após alta da UTI.

Em casa, o paciente continuará o período de reabilitação, caminhando e fazendo exercícios respiratórios e principalmente mantendo os cuidados com a cicatriz cirúrgica e tomando a medicação adequadamente. Não poderá deitar-se de lado, nem de bruços; realizar movimentos bruscos e grandes esforços. A vida sexual pode voltar ao normal após o primeiro mês,respeitando obviamente os limites. Em alguns casos o paciente desenvolve um quadro depressivo, o que é comum e deve ser tratado através de terapia ou medicamentos. No segundo mês poderá voltar a dirigir e após três meses o paciente praticamente retorna as suas atividades normais seguindo as orientações médicas específicas para cada patologia.


Precauções em casa

Exercícios prolongados e atividades extenuantes devem ser evitadas. A recuperação rápida depende de um equilíbrio entre a atividade e o repouso.
As incisões cirúrgicas (cortes no tórax e nas pernas) freqüentemente apresentam sensações de queimação, formigamento e coceiras. Estes eventos cessam espontaneamente.

Caso haja secreção ou abertura de cicatrizes, o paciente deve procurar imediatamente seu médico ou nossa equipe para receber as orientações e cuidados necessários. O paciente que teve a veia safena removida pode ter ligeiro edema (inchaço) na perna e no tornozelo. A elevação da perna, nestes casos, fará diminuir o inchaço. O uso de meia elástica (desde que recomendada) é outro recurso válido.

O osso esterno (do meio do tórax) é fixado firmemente durante a operação com fios de aço. Porém, sua completa consolidação leva cerca de três meses. Em razão disso, o paciente deverá ter cuidado, procurando manter uma boa postura e evitando curvar-se enquanto estiver sentado ou erguendo peso.


Resumo dos cuidados específicos

Mediação

Toda medicação necessária será receitada e deverá ser iniciada logo após a alta. Lembre-se: não tome nenhum outro remédio sem falar ANTES com o seu Cardiologista.


Postura ao deitar

O paciente deve procurar dormir nos primeiros 15 dias após alta hospitalar, deitado de costas para evitar átrio e compressão do osso esterno. Deve sentar-se por tempo prolongado (principalmente se tiver incisão nas pernas). Mantenha as pernas elevadas. Não cruze as pernas. Ande sempre que possível, é muito importante que se caminhe para evitar trombose nas pernas.


Socialização

Nos primeiros 15 dias em casa, após a alta hospitalar, o paciente deve ter garantida a máxima tranqüilidade possível. Devem ser evitados os telefonemas e as visitas em excesso. Após 15 dias, o paciente poderá fazer visitas curtas a familiares e amigos. Evite locais de aglomeração tais como cinema, igreja, teatro ou contato com pessoas enfermas.


Sono

O paciente deve dormir, ao menos oito horas por noite. Se não conseguir, peça orientação médica. Durma preferencialmente de costas por pelo menos oito horas nos primeiros 15 dias.


Curativo

Deverá ser feito diariamente, na hora do banho (com sabonete neutro, ou um outro mas deixe-o só para você).

  1. Tomar banho de chuveiro
  2. Lavar as incisões (cortes cirúrgicos) com sabonete (bem limpo).
  3. Secar com toalha limpa.
  4. A ferida cirúrgica deverá permanecer descoberta.
  5. Use roupas limpas e abotoadas.


Retirada dos pontos

Geralmente os pontos são realizados com fios absorvíveis, portanto não há necessidade de retirada dos pontos.

Entretanto, se houver pontos a serem retirados, você será avisado pela equipe e isso será realizado uma semana após sua saída do hospital por alguém da equipe cirúrgica.

Se for necessário que você retorne estas e outras visitas serão marcadas pelo seu médico.


Banho

Nos primeiros dias, estando as incisões cicatrizadas, o paciente poderá tomar banho usando água e sabão, mantendo algumas pessoas por perto, para evitar quedas. A água deve ser morna. Mantenha a incisão seca após o banho, não é necessário fazer curativo.

Viagens

Viagens prolongadas (maiores que duas horas) devem ser evitadas. Não podendo ser evitadas, as viagens longas devem ser interrompidas em intervalos regulares para permitir ao paciente caminhar alguns minutos. Evite viagens longas e faça paradas regulares para caminhadas.


Relações Sexuais

A relação sexual é um dos componentes da sexualidade e envolve uma grande variedade de emoções e sentimentos. A retomada das atividades sexuais é parte importante no retorno à vida normal.

Em razão dos componentes emocionais presentes no relacionamento sexual, é muito importante um diálogo aberto e franco entre os parceiros, tendo em vista aspectos como ansiedade, medo e demais sentimentos.

As relações sexuais podem ser reiniciadas após 30 dias de alta hospitalar. Recomenda-se moderação e adoção de posições passivas, evitando a pressão sobre o tórax. Mantenha posições que limitem pressão ou peso sobre o esterno ou membros superiores. No caso de mulheres, um possível plano de engravidar deve incluir consulta e planejamento médico. Deve-se aguardar 30 dias e adotar atitudes passivas.


Atividades Domésticas

Atividades domésticas como limpar a casa e passar roupas só podem ser recomendadas após quatro semanas da alta hospitalar.
Iniciar gradualmente após quatro semanas.


Dirigir Automóveis

Deve-se aguardar um período de 30 dias da alta hospitalar para guiar automóveis. O reinício destas atividades deve ser cuidadoso, em razão dos reflexos serem ainda lentos. Aguardar 30 dias para recomeçar.


Cigarro

O cigarro causa aumento da pressão, dos batimentos cardíacos e ainda constrição (estreitamento) nas artérias e danifica irreversivelmente os pulmões. De todas as causas que podem colocar em risco a evolução pós-operatório, o fumo é a mais importante. Portanto, não fume.


Álcool


O álcool em pequenas quantidades e, em grandes intervalos, é permitido. Entretanto, deve ser evitado, se o paciente for diabético ou estiver tomando tranqüilizantes.


Café

O café é estimulante do sistema nervoso.

Portanto, tome em pequena quantidade.


Alimentos

Alimentos ricos em gorduras animal prejudicam a circulação. Assim deve ser evitada a ingestão de carnes gordas, carne de porco, manteiga, queijos amarelos ou cremosos, frutos do mar, ovos coco ou abacate. Prefira margarina e leite desnatado. A alimentação diária deve ser fracionada, isto é, feita em quantidades moderadas e intervalos regulares (quatro refeições ao dia: café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar). Evite alimentos condimentados, gordurosos e uso excessivo de sal.


Atividades e Comportamentos Cotidianos

O paciente que se submete à cirurgia cardíaca tem geralmente a oportunidade de examinar e analisar seus sentimentos, comportamentos e hábitos, no sentido de organizar sua vida. Os itens seguintes têm recomendações que ajudarão nesta reorganização.


Atividades Físicas

As atividades físicas não devem ser extenuantes, ou seja, não podem exigir dispêndio de força física. O paciente deve evitar carregar pesos tais como malas, crianças, cadeiras etc por 3 meses. Quando obrigado a subir escadas, fazê-lo devagar, descansando se necessário. Evite esforços após as refeições. Durante o período de convalescença, é preferível, além de caminhar dentro de casa, atividades como leitura, música ou televisão.


Academia - Condicionamento Físico e Esporte

Após a cirurgia cardíaca, é aconselhável a prática de atividades físicas como recurso para ativar a circulação e como meio de manter o controle emocional.

Caminhada é um excelente exercício e deve ser praticada diariamente ou, no mínimo, em dias alternados. Da mesma forma que as outras atividades, as caminhadas devem ser aumentadas gradativamente e feitas em locais planos. Nas primeiras caminhadas fora de casa é aconselhável ter um acompanhante.

Após 15 dias da alta hospitalar, pode ser adotado o seguinte esquema: durante uma semana, caminhar 500 metros por dia. Após esse período, Caminhe diariamente, aumentando gradativamente a distância. Quando iniciar as caminhadas, leve alguém com você. Os exercícios não devem lhe causar exaustão. Procure aumentar o tempo e a distância em suas caminhadas, não a velocidade. Para a saúde do seu coração, caminhar pelo menos meia hora todos os dias, inclusive sábados e domingos, é o suficiente. Use roupas e tênis confortáveis. Evite exercícios em temperaturas baixas ou muito altas.

Esteja alerta para os seguintes sinais:

  • falta de ar
  • tontura
  • desconforto precordial (dor no peito)
  • exaustão

Caso ocorram estes sintomas, pare o exercício e entre em contato com o seu médico.


Exercícios de Hipertrofia

Finalmente, nos casos de pacientes acostumados com exercícios que utilizam pesos excessivos para a realização de atividades físicas em academias, é permitido que se reinicie o treinamento com pesos mais leves que forçam a musculatura torácica, após 3 meses após a cirurgia cardíaca.

O paciente poderá retomar as atividades físicas normais com pesos excessivos somente após 6 meses da cirurgia cardíaca, quando a cicatrização dos ossos e musculatura cortados durante a cirurgia já estiver completa. Lembrar sempre que o coração também é um músculo, portanto todo exercício de hipertrofia de músculos também levará a uma hipertrofia do músculo cardíaco. Os exercícios aeróbios são os recomendados para o condicionamento cardíaco, e deverão obrigatoriamente estar presentes mesmo naqueles que visam exercícios para hipertrofia muscular.


Consultas Médicas

No pós operatório, dependendo de cada caso, o médico cardiologista poderá marcar uma consulta de revisão para avaliar os resultados 1 vez ao mês até que o paciente tenha alta definitiva do serviço.


Retorno ao Trabalho

Você poderá reassumir gradualmente seu trabalho após ser liberado pelo seu cardiologista, o que geralmente ocorre entre 4 e 6 semanas após a cirurgia. Não tente forçar seu ritmo. Vá devagar. Lembre-se cada pessoa tem seu TEMPO!!!


Perguntas Frequentes

As incisões de minhas pernas doem mais do que a incisão do tórax. Isto é normal?
É comum as incisões das pernas doerem mais do que a incisão do tórax.
Caminhando e realizando suas atividades, este desconforto diminuirá.

Quando posso voltar a dirigir?
Após 4 semanas da cirurgia, seu médico permitirá que você volte a dirigir gradualmente. Evite dirigir por períodos muito longos e interrompa quando se sentir cansado.

Eu posso tomar banho de sol após a cirurgia?
Exposições prolongadas ao sol não são recomendadas para ninguém.
Enquanto suas incisões estiverem cicatrizando, sua pele estará sensível e os raios solares poderão queimá-la e propiciar o aparecimento de cicatrizes.
Portanto, durante seu restabelecimento, evite exposições diretas ao sol por 6 a 8 semanas.

Por que Me Sinto Tão Deprimido?
Na fase de convalescença é natural que você sinta momentos de tristeza, depressão, irritabilidade e com pouca motivação para fazer qualquer coisa.
Isto é decorrente de todo o processo pelo qual você passou e está associado aos sentimentos de insegurança .
Gradualmente estas sensações vão melhorando e você poderá adquirir segurança, retornando a suas atividades.

Quais são os sintomas de urgência?

  • febre maior que 38º;
  • angina ou desconforto precordial;
  • falta de ar ou tontura;
  • algum sinal de infecção nas incisões (saída de pus);
  • seu esterno mover-se durante os movimentos;
  • pernas muito inchadas ou doloridas

Nesses casos, ligue para o seu médico, que lhe fornecerá todas as informações sobre as condutas a serem tomadas.


Qualidade de vida - Vida Normal após Cirurgia Cardíaca

Após o período de convalescência, você deverá entrar na vida normal. Mas lembre-se, quando você decidiu submeter-se a uma cirurgia cardíaca, um dos principais fatores determinantes foi, com certeza, a busca por uma vida melhor, em termos de saúde. Isto também quer dizer, investir em QUALIDADE DE VIDA, baseada principalmente em bem-estar físico, afetivo e profissional. Você, com certeza, não operou para se transformar num “eterno paciente”.

Além dos fatores genéticos, o “Estilo de vida”, a maneira como você vai viver, é um fator determinante para viver bem ou voltar a ficar doente.

Portanto, uma adequação no estilo de vida em relação a bons hábitos alimentares, controle de doenças crônicas como hipertensão, diabetes e controle do colesterol devem ser adotadas em sua vida diária. Evitar estresse, obesidade e vida sedentária são pontos muito importantes para a boa evolução pós operatória. E nunca é demais relembrar que o cigarro deve ser abandonado, por aumentar os riscos de infarto do miocárdio e por prejudicar inclusive a cicatrização das feridas da cirurgia. Portanto deixe de fumar AGORA!!!


Conclusão

Portanto, o médico deverá explicar detalhadamente para o paciente qual a sua doença, o tipo de cirurgia, os riscos envolvidos, as possíveis complicações e o resultado esperado para o tratamento da sua doença, favorecendo assim uma relação de confiança e de segurança entre o médico e paciente.

Av. Ibirapuera, 2907 Cj. 407
CEP: 04.029-200 - São Paulo - SP
Tel: (11) 5093-1533
Av. Ana Costa, 311 Cj 22
CEP: 11.060-001 - Santos - SP
Tel: (13) 3224-3546
Desenvolvimentoo Digital Net