Chocolate Amargo, em quantidades moderadas, faz bem ao coração!
Está sendo muito propagado que o consumo moderado de chocolate amargo traz benefícios à saúde cardiovascular. Por quê?
O chocolate amargo, ou seja, com alto teor de cacau, faz bem à saúde quando ingerido em quantidades moderadas. Novos estudos demonstram que o chocolate amargo, que apresenta em sua composição uma quantidade maior de cacau, promove uma série de benefícios para a nossa saúde. O cacau é rico em substâncias denominadas flavonoides, como as catequinas, que proporcionam diversos benefícios para o nosso organismo.

Segundo pesquisas, o chocolate é rico em flavonoides, substâncias responsáveis por efeitos cardioprotetores. Como os flavanóides agem no organismo e quais as benesses que essas substâncias proporcionam?
Os flavonoides são substâncias anti-oxidantes que agem na parede das artérias, elevando a produção de óxido nítrico, um vasodilatador natural, e dessa forma promovem a queda da pressão arterial. Um estudo na Universidade Hospital Colônia, na Alemanha, mostrou que, com isso, os vasos sanguíneos ficam mais flexíveis e o sangue consegue passar com maior fluidez, gerando menor pressão arterial. Consequentemente, também são reduzidos os riscos de alguém sofrer infarto ou derrame.

Quais são os principais benefícios do chocolate amargo à saúde?
O chocolate amargo não contribui para a elevação do colesterol ruim (LDL) no sangue. Os polifenois sequestram as moléculas de LDL e impedem a sua oxidação, formando um complexo solúvel que é eliminado na urina.

Uma pesquisa japonesa publicada na revista americana “Nutrition” mostrou que a procianidina, outro componente do chocolate amargo, podem melhorar a eficiência da insulina, o hormônio que promove a entrada da glicose nas células, e com isso melhora o controle do diabete melito (tipo 2).

Já uma pesquisa da Universidade de Barcelona, na Espanha, também demonstrou que os flavonóides promoveram uma melhora da imunidade celular. , sobretudo no timo, órgão situado no tórax e responsável pela maturação dos linfócitos T, defensores contra vírus e bactérias. Além disso, os flavonóides também podem promover a proteção dos neurônios contra os efeitos dos radicais livres.
Os principais benefícios do chocolate amargo são:

- Melhora o coração: Uma pesquisa da Universidade Harvard com uma instituição sueca, envolvendo 31 mil voluntárias saudáveis, concluiu que consumido moderadamente, o chocolate pode retardar danos no sistema cardiovascular. As substâncias do chocolate, além de promoverem a dilatação dos vasos sanguíneos, também reduzem a inflamação causada pelos radicais livres, reduzindo a possibilidade de se desenvolverem problemas cardíacos.
- Combate o mau humor: tanto pelo cheiro, que reduz a sensação de estresse e aumenta a sensação de saciedade, quanto pelas substâncias que aumentam a sensação de bem-estar.
- Favorece o emagrecimento: Comer um tablete amargo pela manhã, ainda em jejum, aumenta a saciedade e propicia a perda de peso, de acordo com uma equipe dinamarquesa da Universidade Real de Copenhague, podendo chegar a 15% de perda de peso. Talvez o sabor forte da versão amarga regule a fome ou a maior quantidade de cacau atue impedindo o rápido esvaziamento do estômago, porém ainda não se sabe o real motivo dessa benesse.
- Reduz a pressão arterial: pessoas que consomem 6 gramas de chocolate por dia são menos propensas à hipertensão.
- Baixa a resistência à insulina: Existe uma tribo indígena no Panamá que consome chocolate tanto quanto os brasileiros come arroz e feijão, e a incidência de diabetes tipo 2 entre os índios “Kuna” é bem menor em relação aos outros povos. Outro trabalho italiano, da Universidade de L’Aquila, concluiu que ingerir 100 gramas de chocolate amargo, todos os dias, reduz a resistência à insulina — e, assim, menos açúcar fica circulando no sangue, podendo ser indicado aos diabéticos. Porém, seria muito importante a verificação da quantidade de açúcar do chocolate, uma vez que os benefícios se perderiam, pois o açúcar é como um veneno para os pacientes diabéticos.
- Previne o infarto e o derrame: Comer chocolate pelo menos uma vez por semana reduz o risco de derrame e acelera a recuperação de pacientes que tiveram isquemia cerebral, com uma probabilidade 22% menor de sofrer o derrame, de acordo com um estudo da Universidade McMaster, no Canadá. Já outro trabalho concluiu que comer 50 gramas por semana diminui em 46% o risco de morrer nos casos de acidente vascular cerebral, também pelos benefícios dos flavonoides, que são antioxidantes e conseguem dilatar os vasos sanguíneos".
- Melhora as funções da mente: Um estudo britânico mostrou que uma bebida à base de um tipo de cacau lotado de flavonóides foi capaz de aumentar o fluxo sangüíneo na massa cinzenta cerebral, ou seja, no futuro podem ser desenvolvidos medicamentos para o tratamento de problemas nos vasos cerebrais. A epicatequina também pode, juntamente com exercícios físicos, estimular a memória, de acordo com uma pesquisa americana.Já pesquisadores franceses concluíram que pacientes com uma dieta com alimentos ricos em flavonóides tiveram menor declínio das funções cognitivas. Outra pesquisa do Reino Unido concluiu que o consumo diário de 45 gramas de chocolate amargo reduz os sintomas da síndrome da fadiga crônica, que é caracterizada por cansaço generalizado.
- Nas gestantes, diminui a ameaça de pré-eclampsia: o risco de pré-eclâmpsia, uma elevação da pressão arterial durante a gravidez, pode ser reduzido por algumas substâncias presentes no chocolate amargo, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos. Provavelmente pela atuação de substâncias do chocolate amargo no processo inflamatório.
- Atenua a cirrose hepática: O chocolate amargo combate o aumento da pressão arterial no abdome, que pode atingir níveis perigosos em pacientes com cirrose.

Qual é o melhor horário para o consumo do chocolate amargo?
O horário em que se come também faz diferença em alguns casos. Os melhores períodos são a manhã e o final da tarde. É quando ocorrem os picos de secreção de cortisol, o hormônio do estresse, e o consumo de chocolate amargo reduz a sua liberação. Quando consumido em jejum, o chocolate amargo sacia a fome e contribui para o emagrecimento.

O consumo do chocolate ao leite ou chocolate branco são iguais ao do chocolate amargo?
Não. Seriam necessários pelo menos o triplo de tabletes ao leite para ter o mesmo benefício de uma pequena barra de chocolate amargo. O problema é que, assim, também se triplicam as gorduras e o açúcar, acarretando em um consumo exagerado de calorias e, consequentemente, em ganho excessivo de peso.
Já o chocolate branco não contém cacau, portanto os benefícios são perdidos com o consumo desse alimento.

Qual a indicação para o uso terapêutico do chocolate? Que tipo de chocolate é recomendável e qual quantidade diária?
O chocolate deve ser consumido em doses moderadas. Ainda há discussão da quantidade máxima que deve ser ingerida, porém a maior parte dos estudos cita entre 30 e 40 gramas por dia, que corresponde a quatro quadradinhos de uma barra de chocolate.
Quanto maior for a concentração de cacau no chocolate, maior será a concentração de flavonoides e maiores serão os benefícios para o organismo. Deve-se lembrar que o chocolate branco não possui cacau, portanto não faz parte desse grupo de alimentos que fazem bem ao coração.

A terapia com chocolate é contra-indicada para algum paciente? Qual?
O consumo de chocolate, por apresentar muitas calorias, deve ser evitado em excesso nos pacientes obesos e nos pacientes diabéticos. Nesse último caso, pacientes com diabetes devem preferir os chocolates amargos do tipo “Diet”, em que o açúcar é substituído por adoçantes e, por apresentar menor concentração de carboidratos, elevam menos a glicemia desses pacientes.

É importante lembrar que não se deve cair na armadilha dos alimentos “diet”, que muitas vezes apenas não apresentam uma quantidade de açúcares, mas podem apresentam uma maior quantidade de gorduras e, dessa forma, a pessoa que quer perder peso pode estar comendo um alimento tão calórico quanto um alimento “não-diet”.

O que o consumo excessivo de chocolate pode acarretar para o organismo?
O consumo excessivo de chocolate pode acarretar, por outro lado, malefícios para o organismo, que vão desde o ganho de peso, com consequente obesidade, até o desenvolvimento do diabete. É bom ressaltar que o chocolate deve ser consumido em quantidades moderadas, para que os seus benefícios possam se expressar em seu grau máximo. Prefira os chocolates com maiores concentrações de cacau.

Quais são os benefícios psicológicos do consumo do chocolate amargo?
O chocolate amargo mantém as pessoas em bom humor, além de não deixar o organismo fraco e vulnerável, Algumas substâncias, como a N-oleoletanolamina e a N-linoleoiletanolamina, proporcionam a estabilização das anandamidas, uma substância que proporciona bem-estar produzida pelo próprio cérebro, proporcionando que essa sensação dure mais tempo.

O alto teor de magnésio, associado à fenilalanina e à tirosina, dois aminoácidos que são precursores da noradrenalina e da dopamina, proporcionam estado de felicidade natural.

O cacau também contém uma substância conhecida como feniletilamina, a mesma substância envolvida na química da paixão, que promove uma sensação ótima, é claro. É um sabor amargo que proporciona doces experiências... Bom apetite!
Av. Ibirapuera, 2907 Cj. 1608
CEP: 04.029-200 - São Paulo - SP
Tel: (11) 5093-7855 | (11) 95166-6577 | (11) 2056-3600
Av. Ana Costa, 311 Cj 22
CEP: 11.060-001 - Santos - SP
Tel: (13) 3224-3546
Desenvolvimentoo Digital Net